Eu te amo é uma expressão usada por aqueles que querem demonstrar o seu amor, afeto e carinho por alguém com significado especial. Por isso, muitas vezes é dita entre amigos ou familiares e não somente entre os casais.
Normalmente, quando a frase "eu te amo" é trocada por um casal, significa que sentem o amor verdadeiro e que partilham o desejo de estarem sempre juntos.


Leia Mais

Seu relacionamento afetivo pode ser bem melhor do que ele é.
O relacionamento afetivo que vai te gerar paz, equilíbrio e bem-estar é aquele que gera consciência em você. Vou explicar melhor sobre isto.


Leia Mais

O conhecimento de si distingue-se do conhecimento de outras coisas (as coisas exteriores ao sujeito) por ser imediato, no sentido de não depender de evidências. Pode-se dizer que o autoconhecimento é fruto da introspecção.
O sujeito tem acesso privilegiado aos próprios pensamentos, isto é, conhece os próprios pensamentos de uma maneira que os outros usualmente não conhecem.  Filósofos como Platão, Spinoza, Freud e Moran fazem parte de uma tradição que vê o autoconhecimento como uma conquista ou realização que traz saúde e liberdade para a pessoa.


Leia Mais

Um filme de 2004. Henry Roth (Adam Sandler) é um veterinário paquerador, que vive no Havaí e é famoso pelo grande número de turistas que conquista. Seu novo alvo é Lucy Whitmore (Drew Barrymore), que mora no local e por quem Henry se apaixona perdidamente. Porém há um problema: Lucy sofre de falta de memória de curto prazo, o que faz com que ela rapidamente se esqueça de fatos que acabaram de acontecer. Com isso Henry é obrigado a conquistá-la, dia após dia, para ficar ao seu lado.
Gosto muito deste filme pois gera uma grande reflexão em torno dos relacionamentos afetivos.
A questão da rotina e da previsibilidade. O que podemos fazer para inovar em uma relação a dois?
O que fazer para não deixar que o tempo sufoque a acabe com algo tão bonito e bom?


Leia Mais

Está com medo de amar?
Está com medo do amor?
A melhor forma de autoconhecimento é se relacionar com o outro.
O relacionamento afetivo, nos desafia o tempo todo, pois ele nos mostra como somos na essência.
A dor e a dificuldade que precisamos olhar e que fugimos. Exemplo: Qual a razão do ciúme? Qual a razão da carência? Por quê desejar viver a vida do outro? Por quê privar o outro da presença dos amigos e família?
Independente do outro, este trabalho é interno e solitário, você com você. A dor que te incomoda é a sua cura.


Leia Mais